"Há uma verdade não dita a cada suspiro que eu dou."
Apaixonada <3

Apaixonada <3

(Source: budwaiserr, via nostalgia-rr)

"Porque apesar da sua cara de brabo, você é tão fácil, tão leve, tão solto, tão tudo que eu sempre quis quando me agarra pelo braço, me pega pelos quadris, mastiga todo meu corpo e cospe fora somente minhas mentiras, carências e toxinas."
Gabito Nunes. (via opostos)

(Source: quotteando, via opostos)

"Ainda falta muito amor na minha dor até que alguém me faça confiar de novo."
Fico com raiva e de repente percebo que compartilhei isso com alguns dos amores da minha vida. Acabei rindo da minha raiva e agradecendo por vocês existirem. ❤️❤️❤️

Fico com raiva e de repente percebo que compartilhei isso com alguns dos amores da minha vida. Acabei rindo da minha raiva e agradecendo por vocês existirem. ❤️❤️❤️

"A solidão vem de dentro, não de fora. Não das ações ou falta de ações de outra pessoa. Vem de você mesmo. Quando você se sente solitário, a imagem de outra pessoa ou a certeza de seu sentimento não basta; as vezes nem mesmo a presença. A solidão te encara do espelho, intensamente, desnorteando a sua razão e desenfreando suas emoções negativas. Tentei várias vezes compreender por que a minha carência me levava a uma solidão tão profunda, e percebi que tinha carência de mim mesma. Do conforto que um dia habitou meu coração e que agora é raro, tão raro que não mais sei reconhecê-lo. Tenho carência da minha paz interior.
Fiquei um tempo sozinha para perceber tudo isso. Gostaria de ter ficado mais, mas fui arremessada pela vida em uma caverna escura e desconhecida, ouvindo sussurros de que estou caminhando em direção ao amor. Estou com medo. No escuro, sem enxergar um palmo do meu próximo passo, desconhecendo a pessoa que me guia em sua alma e profundidade de bondade. A sigo cegamente, me perguntando se não devo parar. Minha solidão me cutuca sempre que largo a mão do meu guia, me dizendo que não dá pra ser guiada se não confio. Fico sufocada pelos meus pensamentos, por essa sensação de dor iminente. A solidão vem de mim; quando ele me abraça, ela desaparece pois já não é forte o suficiente para combater minha paixão, esse sentimento que arde sempre que ele me toca. Quando o toque se vai, a sensibilidade da saudade é terreno perfeito para solidão cultivar meu pavor.
Apavorada, apaixonada, caminhando e solitária. Eis que logo eu que pensava que o amor não existia, descobri que a existência dele é viva, mas o desfrute deste deleita também outros sentimentos. Estou aprendendo a amar. Espero que nesse processo, a solidão se vá."
KerolynRamos
"Ficaram me perguntando sobre ele o dia todo. Como ele era, o que ele falava, se beijava bem, se tinha a tal ‘pegada’, tão famosa, tão comentada. Minha resposta eram sorrisos, longos sorrisos. Deixei todos curiosos. Era egoísta demais pra dividir em palavras aquele formigamento quando ele passou as mãos pela minha cintura, ou aquele cheiro maravilhoso que exalava do peito dele. Meu sorriso bastava. Quem me conhecia sabia que no fundo, eu estava pra lá de apaixonada."
Kerolyn Ramos
"Perder a fé no amor é triste demais. Solitário, sabe? Muito frio."
Kerolyn Ramos
"A defesa é automática. Não há nada que eu possa fazer, mas eu acho também não gostaria de fazer alguma coisa. Acho que não gostaria, realmente, de carregar a responsabilidade. As decisões que eu tomo todos os dias são ridículas. Escovar os dentes ou não, tomar banho ou não, escrever ou não, me humilhar ou não, escutar músicas tristes ou não, lembrar da solidão ou não, viver ou não. Eu gostava de prender a respiração, e não faz muito tempo. Era como se por alguns segundos expulsasse os pensamentos vitais e mergulhasse num cheiro de morte, silêncio e escuridão. Talvez eu conseguisse passar até 4 minutos sem encher meus pulmões de ar e, logo em seguida, esbugalhar um pouco os olhos e me aliviar por ser um completo imbecil com mais velas no bolo pra soprar. Até que me disseram que meu poder sobre mim era uma completa farsa. Ninguém consegue morrer desse jeito. Nunca mais consegui passar além dos 5 patéticos segundos sem me desesperar e confirmar com o meu peito oscilante que eu mantinha a minha consciência no lugar. Acho que a minha vida sempre durou 5 patéticos segundos. O que vinha depois, era defesa. Espasmos. De cinco em cinco segundos, alguma hora, eu devo sair por aí caindo numa cova. Viver é uma coisa automática. Ninguém aguenta ser responsável pelo próprio sangue. Se colocassem o valor de todo o oxigênio ingerido sem moderação na minha conta (porque acredito que viver deva ser uma espécie de porre universal), eu já teria explodido em um milhão de pedaços. De novo. Os amores que deixei? Que paguem. As doenças que me comem o estômago? Que paguem. As saudades? Os orgulhos? Os centavos da passagem? Que paguem. Que paguem todos. Como eu venho apagando. Pagando. Que seja. Minha dívida é com alguma coisa dentro de mim, - essa é uma das frase que eu mais repito, e a coisa pode ser, acredite, qualquer coisa, inclusive uma coisa que nem sequer seja minha - alguma coisa dentro de mim que se apieda constantemente das estrelas que ignorei ao longo das minhas janelas fechadas e dos meus olhos envoltos por um cobertor quase sem forro. É desperdício de sanidade me aprisionar no meu mundo insano. O mundo insano que inclui doses altas de uma morfina invisível. Sem ter motivo, sem ter dor alguma. Porque a defesa é automática. Eu fico triste por um segundo, no mínimo, todos os dias. Eu fico só. É o segundo quando olho bem no fundo do poço do meu passado, e me reconheço, em perfeito estado de conservação, sem retirar uma palavra do que disse, sem pedir desculpas pra quem eu deveria pedir desculpas, sem rodar a chave na porta do meu quarto e parar com essa economia de ar, porque a conta não é minha, a responsabilidade também não. Sou quase um corpo solidário. Ainda bem. É o segundo quando me escondo na poesia, nas luzes apagadas e na música triste. Quando escovo os dentes, tomo banho, me humilho ou escrevo. De cada 5 segundos, vivo 4. Um espaço eu deixo pra ser o que sou de graça. Sem precisar escolher ser. Um segundo eu deixo pra me arrepender. E nos outros 4, eu lembro, feliz, extremamente feliz, que a culpa não é minha, nem das estrelas (desculpe), nem de ninguém. Viver é uma questão de hábito. Talvez, eu nem sequer esteja vivo agora, procurando lembrar onde eu coloquei meus remédios pra dor de cabeça, respirando. E o que vem depois, não é a morte. É espasmo, é ilusão, é crédito, é imposto, é automático. É costume."
Cinzentos.    (via opostos)

(Source: cinzentos, via opostos)

"Se você recusou sua rotina, deixou de fazer aquilo que mais gostava em nome de alguém, torrou seus bens, abandonou os amigos e os prazeres mais fundamentais, isso não é amor, é paixão. A paixão é uma fatalidade , o amor é uma escolha. A paixão é egoísta, o amor é generoso. A paixão é renúncia, o amor adapta. A paixão é confinamento, o amor é abrigo."
Fabrício Carpinejar.   (via opostos)

(via opostos)

"Eu queria ressuscitar o ontem e acordar no meio de um daqueles nossos erros. Eu não te negaria nenhum beijo, nenhuma conversa de pé na cozinha, nenhuma oportunidade de mudar esse meu mundo sujo que se revela a cada noite fria e solitária, nenhuma chance de desvendar essa sua alguma coisa. Como faz esse seu novo amigo - quase namorado, já sei, mas não se incomode, não mereço explicação. Não vou perder meu tempo te prometendo coisas novas, prefiro começar cumprindo as que fiz a mim mesmo e parar de comer tantas besteiras. Mas, no auge do meu altruísmo, espero que essa nova pessoa esteja agora mesmo de cotovelos para seus encantos, aquela sua alguma coisa que você tinha e eu nunca soube identificar, mas até hoje impede de me apaixonar por outro alguém."
Gabito Nunes. (via ga-bi-to)
"Se sentir sozinha faz parte do processo para auto-suficiência."
KerolynRamos
"Odeio imaginar você dando um sorriso daqueles irritantes, a vitória presa no canto da boca. Ok, você ganhou. Satisfeito?"